Ótica Visual

Ótica Visual

quarta-feira, 26 de abril de 2017

Com previsão de gerar 400 empregos ENGIE Brasil Energia fará investimento de 220 milhões de reais em Assú

Divulgação/ Assessoria
Após obter as licenças ambientais e de instalação pelo Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente do RN (IDEMA/RN), a ENGIE Brasil Energia iniciou oficialmente, a partir do dia 31 de março de 2017, a construção do Complexo Assú, localizado à margem da BR-304, no município de Assú, distante cerca de 280 km da capital, Natal. Neste momento, a obra se concentra na fase de implantação da Central Fotovoltaica Assu V, que comercializou 9,2 MW no Leilão de Reserva de novembro de 2015 e será a primeira de cinco parques de energia solar. A informação é da sua assessoria de imprensa. A mesma fonte descreve que, a Assu V será instalada numa área de 100 hectares pela ENGIE Brasil Energia, no estado potiguar. A capacidade instalada desta primeira usina é de 30 MW e estimativa para abastecer uma população de 130 mil habitantes. Uma equipe da ENGIE Brasil Energia, capitaneada pelo gerente de obras, Rafael Caldeira, e as empresas contratadas, realizam serviços de supressão vegetal da área, terraplanagem e instalação do canteiro de obras para Usina Assu V. Equipes de arqueologia, monitoramento e resgate da fauna também se encontram no campo executando suas atividades.
Além da preparação do terreno e o canteiro de obras, estamos realizando, neste momento, a fase de mobilização dos trabalhos para o estaqueamento, montagem dos trackers [suporte das placas] e posterior posicionamento dos módulos solares”, explica Rafael Caldeira.
Ao todo serão cerca de 320 mil peças para a Usina Fotovoltaica Assu V, cuja entrada em operação está prevista para o final de 2017 e investimento na ordem de R$ 220 milhões. Com esse investimento, a ENGIE busca ampliar sua experiência no setor fotovoltaico para a geração energética.
Esse empreendimento marca nossa entrada definitiva na geração solar centralizada, sendo a primeira usina fotovoltaica de porte comercial construída pela ENGIE no Rio Grande do Norte e no Brasil. Após estudos desenvolvidos, foi comprovado que a região do Vale do Açu possui forte incidência de raios solares e baixa precipitação pluviométrica durante o ano, oferecendo condição ideal para geração de energia”, argumenta o diretor de Geração da ENGIE, José Laydner.
A obra deve gerar aproximadamente 400 empregos diretos no pico da construção. Como política de valorização e propulsora da economia regional, a ENGIE prioriza a contratação de mão de obra local para instalação da usina. O processo de seleção e contratação dos colaboradores locais está sendo realizado pelo Sistema Nacional de Empregos (SINE) de Assú que funciona na Central do Cidadão.
As vagas existentes ou que abriremos serão sempre ocupadas por profissionais cadastrados no SINE”, reforça o gerente do Projeto, Giuliano Pasquali.

Nenhum comentário:

Postar um comentário