quinta-feira, 17 de junho de 2021

Em denúncia feita ao Sindsaúde/RN, servidores do Hospital de Assú pedem socorro

O Sindsaúde/RN recebeu mais uma denúncia anônima de servidores da saúde do Hospital Regional DR. Nelson Inácio dos Santos, na cidade de Assú/RN. A denúncia é direcionada a direção da unidade, em especial ao diretor Alberto Luiz de Lima Trigueiro. De acordo com a carta enviada ao Sindsaúde/RN, os trabalhadores do hospital Regional de Assú não aguentam mais a maneira autoritária, antiética e arrogante da administração do diretor Alberto Luiz.

A arrogância, ameaças e o assédio moral são símbolos da administração. Gerando instabilidade emocional e um clima péssimo dentro da própria unidade. Mensagens no whatsapp e ligações inoportunas, fora do horário de trabalho do servidor no local com ameaças, cobranças e extremos questionamentos se tornaram constantes. Atrapalhando e abalando os servidores públicos que muitas vezes estão de plantão em outras unidades, ajudando a salvar vidas”, diz trecho do conteúdo da denúncia.

No dia 27 de maio, o Sindsaúde/RN publicou a primeira denúncia feita pelos servidores do hospital Regional de Assú. Segundo relatos, mesmo com a denúncia feita pelo sindicato, o diretor intensificou o assédio e as perseguições aos servidores. No dia 11 de junho, diretores do Sindsaúde visitaram o hospital para averiguar as denúncias.  Durante a visita, o sindicato conversou com os servidores, mas o diretor da unidade não estava presente.

O Sindsaúde/RN não admite que nenhuma direção hospitalar assedie os trabalhadores. Estamos hoje no hospital de Assú pra dizer não ao assédio moral desses diretores que estão ausentes do hospital”, afirmou o  coordenador geral do Sindsaúde/RN, João Morais, durante a visita.

Confira a carta com a denúncia dos servidores:

Nós, funcionários da unidade supracitada não aguentamos mais a maneira autoritária, antiética e arrogante da administração do senhor diretor Alberto Luiz de Lima Trigueiro a frente do Hospital Regional de Assú”.

- A arrogância, ameaças e o assédio moral são símbolos da administração. Conduzindo a mão de ferro, sem dialogo, sem bom senso e com extrema cobrança em cima dos servidores. Chegando ao ponto de colocar cargos comissionados para “fiscalizar’’ e ‘’gerar fofocas’’ dentro da própria unidade. Gerando instabilidade emocional e um clima péssimo dentro da própria unidade.

- Mensagens no whatsapp e ligações inoportunas, fora do horário de trabalho do servidor no local com ameaças, cobranças e extremos questionamentos se tornaram constante. Atrapalhando e abalando os servidores público que muitas vezes estão de plantão em outras unidades, ajudando a salvar vidas.

- O senhor diretor Alberto Luiz de Lima Trigueiro, fala mal e critica seus próprios funcionários em corredores do Hospital Regional de Assú. Frases como ‘’Ele (a) é um péssimo funcionário’’ e ‘’Eu não gosto do trabalho dele(a)’’,  são ditas com frequência nos corredores para funcionários ouvirem, gerando mal estar, desgaste nas relações além do abalo mental do servidor já tão desgastado nesse período de pandemia. Servidores dos setores de Raio-X, Laboratório dentre outros são perseguidos frequentemente, já temem e ver as mensagens e as ligações em dias/horários inoportunos, sempre com palavras ameaçadoras e de extrema cobrança.

- O supracitado Diretor também fala abertamente nos corredores que as dezenas de denúncias que recebe ‘’Não dão em nada’’ e ‘’São apenas denúncias de cunho político’’, fechando os olhos para os problemas e deixando os funcionários ainda mais desmotivados, pois fica claro, que não haverá mudanças.

- Não aguentamos mais! Estamos cansados fisicamente e mentalmente de darmos nossas vidas diariamente, em vários hospitais, e ainda temos que no Hospital Regional DR. Nelson Inácio dos Santos, na cidade de Assú/Rio Grande do Norte, na pessoa do seu próprio Diretor aguentar tamanho desrespeito e tamanha cobrança.

- Falta profissionalismo, falta diálogo, falta de bom senso, falta de ética, falta de respeito, falta de padronização nas ações, falta organização, falta de carinho ao servidor, falta de humanização. O novo equipamento de Raio-X continua a meses dentro de caixotes nos corredores do hospital, nunca foi instalado. Setor de RH que não dá nenhum suporte ao servidor, com problemas e atrasos em pagamentos pois simplesmente não dão entrada no protocolo junto aos órgãos competentes, funcionários de cargo comissionado orientados a perseguidor e coagir funcionários do processo seletivo, comidas péssimas!

Chega! Queremos ser ao menos reconhecidos, ouvidos e respeitados! Pedimos ajuda, pedimos socorro!

Queremos mudanças no Hospital Regional DR. Nelson Inácio dos Santos!”

Fonte: Sindsaúde/RN

O Blog Assú Todo Dia deixa o espaço aberto para o pronunciamento do diretor do Hospital Regional e/ou da Secretaria do Estado da Saúde Pública do Rio Grande do Norte.

Rio Grande do Norte registra período chuvoso 30,4% abaixo do esperado

Reprodução

As análises da Unidade Instrumental de Meteorologia da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (EMPARN) preveem mais uma semana com poucas chuvas no Rio Grande do Norte. Os termômetros devem variar em Natal, entre 25°C, durante as madrugadas e 31°C, durante as tardes. Na região do Seridó, as mínimas deverão variar entre 22°C a 26°C e as máximas devem girar em torno dos 34°C. Já nas regiões Serranas, temperaturas devem variar entre 20°C e 31°C. A previsão leva em consideração o posicionamento da Zona de Convergência Intertropical (ZCIT), que no momento está ao norte da linha do Equador, associada a predominância do vento no sentido sul e sudeste, dificultando a formação das chuvas sobre o estado.

Essa configuração do vento, favorece a concentração das chuvas na faixa litorânea dos Estados de Pernambuco, Alagoas, Sergipe e Bahia. Aqui no litoral leste do Estado poderão ocorrer pancadas de chuvas durante as madrugadas e início das manhãs associadas ao efeito brisa e a umidade proveniente da região oceânica”, avaliou Gilmar Bristot, chefe da unidade.

Fonte: Emparn

Gás de cozinha mais caro no Rio Grande do Norte

O GLP (gás liquefeito de petróleo), conhecido por gás de cozinha, ficou novamente mais caro em todo o País com o novo reajuste de 5,9% que a Petrobras repassou às refinarias a partir desta segunda-feira (14). No Rio Grande do Norte, o preço médio do botijão, que estava em R$ 95, agora ficou em R$ 100, podendo chegar aos R$ 105, dependendo da localidade e da forma de pagamento. O valor corresponde a quase 10% do salário mínimo.

Antes desse aumento, a variação do preço era de R$ 92 a R$ 97, com preço médio de R$ 95. Com esse reajuste de R$ 5 a R$ 6, agora vai ficar entre R$ 97 e R$ 103 com preço médio em torno de R$ 100”, disse o presidente do Sindicato dos Revendedores Autorizados de Gás Liquefeito de Petróleo (Singás-RN), Francisco Correia. Ele contou que os novos valores já começaram a ser aplicados na medida em que os estoques estão sendo renovados, devendo atingir a totalidade até esta quarta-feira (16).

Nós temos 820 revendedores no Estado e 90% deles ainda têm estoque, por isso creio que até esta quarta-feira, todos já terão alterado os preços”, informou.

A notícia é do portal Tribuna do Norte.


 

terça-feira, 15 de junho de 2021

Sesap/RN divulga os novos números da dengue, Chikungunya e Zika vírus no Rio Grande do Norte

Reprodução

A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) divulgou nesta segunda-feira (14), o mais recente boletim epidemiológico das arboviroses no Rio Grande do Norte, referente ao período compreendido entre a Semana Epidemiológica (SE) 1 até a 20, encerrada em 22 de maio de 2021.

Segundo o boletim, foram notificados 2.145 casos suspeitos de dengue no RN, dos quais foram confirmados 311 casos, 796 descartados e considerados casos prováveis 1.349. Nesse período, foi observada uma incidência de 38,46 casos prováveis por 100.000 habitantes. Em 2020, no mesmo período epidemiológico, foram notificados 6.381 casos, sendo confirmados 1.599, descartados 3.021, considerados casos prováveis 3.360, com uma incidência de 95,81 casos prováveis por 100.000 habitantes. Houve, então, uma redução nos números da dengue de 2020 para 2021, comparando-se os mesmos períodos epidemiológicos.

Diante da análise dos dados, a quinta região do estado está com a situação preocupante, principalmente os municípios que fazem limite com o município de Santa Cruz. “Estamos fazendo operações nessa região para tentar freiar o número de casos. Atuamos junto aos municípios de Coronel Ezequiel, São Bento do Trairí e estamos fazendo operação nesse momento em Bom Jesus com prevenção e orientação à população”, ressalta Débora Mayara - Coordenadora do Núcleo de Arboviroses.

Outro ponto crítico é o encerramento dos casos nos municípios.

Muitos municípios não estão investigando, o que ressalta o número alto de notificações, porém sem confirmações. A Sesap está com equipe, junto à gestão dos municípios para que possam prosseguir nas investigações e possamos ter os números efetivos do número de casos e assim atuar de forma mais contundente contra as arboviroses”, disse a coordenadora.

Quanto à distribuição no estado, foi constatada a incidência de dengue em todas as regiões do RN, estando as maiores taxas na V Região de Saúde, especificamente nos municípios de Santa Cruz e São Bento do Trairi. A comparação dos casos prováveis de dengue, considerado a faixa etária, no período da Semana Epidemiológica 1 a 20 dos anos de 2020 e 2021, mostra que a maioria deles se concentra em adultos a partir dos 20 anos de idade.

Com relação à comparação dos casos prováveis de dengue, considerando o sexo, no período da SE 1 a 20 dos anos 2020 e 2021, o boletim aponta que o sexo feminino apresentou um diferencial a mais na concentração dos casos, principalmente no ano 2021. No que diz respeitos aos óbitos, nesse período epidemiológico, foi confirmado 1 óbito por dengue em 2021, enquanto que em 2020, 5 óbitos foram confirmados.

Chikungunya

Foram notificados no RN, até a Semana Epidemiológica 20, 2.204 casos da doença, sendo confirmados 155, descartados 236, sendo considerados casos prováveis 1.968. Nesse período, o RN apresentou uma incidência 56,12 casos prováveis por 100.000 habitantes. Em 2020, no mesmo período epidemiológico, foram notificados 2.459 casos, sendo confirmados 1.203, descartados 641, casos prováveis 1.818, com uma incidência de 51,84 casos prováveis por 100.000 habitantes.

Assim como ocorreu com a dengue, foi observada uma grande concentração da incidência de chikungunya na V Região de Saúde, estando as maiores incidências nos municípios de Santa Cruz (3.896.76 casos/100.0000 habitantes) e São Bento do Trairi (1.371,09 casos/100.000 habitantes).

A comparação dos casos prováveis de chikungunya, considerado a faixa etária e o sexo, nas semanas epidemiológicas de 1 a 20 dos anos de 2020 e 2021, mostra o crescimento nas notificações de casos em pessoas a partir de 35 anos de idade e do sexo feminino. Quanto aos óbitos, nesse período epidemiológico, não foi confirmado nenhum óbito por chikungunya em 2021, enquanto que em 2020, 1 óbito foi confirmado.

Zika vírus

No Rio Grande do Norte, em 2021 da semana epidemiológica 01 a 20, foram notificados 116 casos de Zika, sendo confirmados 17, descartados 36 e considerados casos prováveis 80. Nesse período a incidência foi de 2,28 casos prováveis por 100.000 habitantes. Em 2020, no mesmo período epidemiológico, foram notificados 423 casos, sendo confirmados 58, descartados 274, 149 casos prováveis, apresentando uma incidência de 4,25 casos prováveis por 100.000 habitantes.

A distribuição espacial da incidência de Zika por município de residência e Região de Saúde, no período analisado, ocorreu de forma heterogênea, no entanto, o município de Santa Cruz na V Região de Saúde concentra a mais alta incidência do RN.

Comparação 2020 e 2021

A comparação dos casos prováveis de Zika, considerado a faixa etária, nas semanas epidemiológicas de 1 a 20 dos anos 2020 e 2021 mostra que, apesar do ano 2021 apresentar um menor número de casos, a faixa etária de adultos entre 20 a 34 anos apresenta uma maior concentração de doentes com Zika, acometendo, com maior prevalência, as pessoas do sexo feminino.

O quantitativo de casos de Zika em mulheres em idade fértil é fator de preocupação, principalmente se ocorrer em gestantes, devido à capacidade do Zika Vírus provocar microcefalia ou alterações no sistema nervoso central do feto gestado. No RN, até a Semana Epidemiológica 20 de 2021, foram notificados 34 casos de gestantes com Zika, dos quais 30 foram registrados em Santa Cruz.

Levantamento de Índice Rápido para Aedes aegypti

Em abril foi realizado o 1º Levantamento de Índice Rápido para Aedes aegypti (LIRA a-LIA) deste ano no RN, com o seguinte resultado 9 municípios se encontram em situação satisfatória, 48 municípios em situação de alerta, 72 municípios em situação de risco e 38 municípios, sem Informação.

Prevenção

A Sesap alerta para os cuidados necessários para evitar a proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissores das arboviroses, já que a população desempenha um papel primordial no controle vetorial. São eles:

Mantenham os quintais livres de possíveis criadouros do mosquito;

Esfreguem com bucha as vasilhas ou reservatórios de água de seus animais;

Não coloquem lixo em terrenos baldios;

Mantenham as caixas d´água sempre tampadas;

Observem vasos e pratos de plantas que acumulam água parada;

Observem locais que possam acumular água parada como: bandeja de bebedouros e de geladeiras, ralos, pias e vasos sanitários sem uso;

Recebam a visita do agente de endemias, aproveitando a oportunidade para tirar possíveis dúvidas;

Mantenham em local coberto, pneus inservíveis e outros objetos que possam acumular água.

Acesse aqui o último boletim epidemiológico das arboviroses no RN.

Fonte: Sesap/RN